A migração para a União Europeia em números

Quais as mais recentes tendências nos deslocamentos para a Europa? Quais os principais destinos dos refugiados, as principais rotas?

uerra, violência e pobreza são responsáveis pelo deslocamento de milhões de pessoas em todo o mundo. Consequentemente, os fluxos de migração, em particular para a Europa, continuam.

Enquanto em 2016, a maioria dos requerentes de refúgio na Europa eram sírios, afegãos e iraquianos, em 2017, a maioria foi de sírios, afegãos e nigerianos.

O número de pedidos de refúgio na União Europeia (UE) diminuiu em 2017 em comparação com 2016. Segundo a Eurosat, a agência de estatísticas do bloco, o número de pessoas que deram entrada pela primeira vez em pedidos de refúgio diminuiu 54% no segundo trimestre de 2017, em comparação com o mesmo trimestre de 2016.

Foram registrados 149 mil pedidos de refúgio durante o segundo trimestre de 2017: 175 mil a menos que no mesmo período de 2016.

Rotas migratórias

Os refugiados seguem diferentes rotas para alcançar seus destinos na UE. As principais rotas migratórias são as da África Ocidental, Mediterrâneo Ocidental, Mediterrâneo Central, a rota dos Balcãs Ocidentais, do Mediterrâneo Oriental e a rota das Fronteiras do Leste. A rota do Mediterrâneo Central é a mais comumente usada. A Agência de vigilância de fronteiras da UE Frontex coleta dados sobre cruzamentos ilegais de fronteira.

Vida perdidas no Mediterrâneo

O número de solicitantes de refúgio atingiu 1,26 milhão em 2015. No mesmo ano, mais de 3 mil refugiados perderam a vida no Mediterrâneo. A cifra aumentou em 2016, quando cerca de 5 mil vidas foram perdidas.

De acordo com a Organização Internacional para Migrações (OIM), houve mais de 115 mil chegadas por mar em 2017 até dia 2 de agosto. No entanto, nesse mesmo período, mais de 2.300 pessoas teriam perdido suas vidas no Mediterrâneo. Este número não inclui o número de pessoas desaparecidas.

A região do Mediterrâneo é responsável pela maior proporção de pessoas que morrem durante a travessia migratória. Três quartos das mortes de migrantes em todo o mundo ocorrem na área.

Principais destinos

No segundo trimestre de 2017, a Alemanha registrou o maior número de pessoas que deram entrada pela primeira vez em seu pedido de refúgio – 28% de todos os pedidos registrados na UE. Nesta estatística, a Alemanha foi seguida por Itália, França, Grécia e Reino Unido.

No entanto, durante o segundo trimestre de 2017, a Grécia apresentou a maior taxa per capita de pedidos de refúgio apresentados pela primeira vez na UE.

Decisões sobre pedidos

Menos da metade de todas as decisões (46%) sobre pedidos de refúgio na UE foram positivas no segundo trimestre de 2017. A Alemanha foi o país que emitiu o maior número de decisões em primeira instância.

Segundo os relatórios, a Alemanha emitiu mais decisões sobre pedidos de refúgio do que todos os outros países da UE juntos no primeiro semestre de 2017.

O país com a maior taxa de rejeição de pedidos de refúgio foi o Reino Unido, e o país com o menor foi a Áustria. A Áustria também emitiu a maioria das decisões de status de refugiado.